Buscar

AGREGADOS: SETOR PODE CRESCER 5% EM 2020


A diretora do Sindipedras, que está completando 45 anos, é presidida pelo engenheiro de minas Daniel Debiazzi Neto, da Embu S.A. , enquanto a do Sindiareia tem como presidente Anselmo Luiz Martinez Romera.

Em cerimônia realizada na sede da Fiesp, no dia 6 de dezembro, foram empossadas as diretorias do Sindipedras e Sindiareia para o biênio 2020-2022. A diretora do Sindipedras, que está completando 45 anos, é presidida pelo engenheiro de minas Daniel Debiazzi Neto, da Embu S.A. , enquanto a do Sindiareia tem como presidente Anselmo Luiz Martinez Romera.

Em seu discurso de posse, Daniel Debiazzi afirmou que a má reputação que a mineração tem perante a sociedade também atingiu o setor de agregados, assim como os inúmeros projetos de lei que estão tramitando no Congresso Nacional e que podem interferir negativamente na atividade.

O dirigente do Sindipedras também criticou a morosidade com que são implementados os projetos de infraestrutura no País, citando como exemplo o caso do Rodoanel de São Paulo, cuja conclusão só deverá acontecer 47 anos depois do previsto. Além disso, “existem nada menos que 14 mil obras inacabadas no País”.

Para resolver os problemas dos produtores de brita do estado de São Paulo, o caminho apontado por ele é o da autoregulação, mencionando a iniciativa do movimento Peso Legal, que foi adotado pelo setor de agregados, a partir de uma proposta dos próprios produtores.

Já Anselmo Luiz Romera, do Sindiareia, disse que o setor, que teve muitas irregularidades no passado, hoje trabalha de forma correta (também adotou o Peso Legal). “A lei tem que ser praticada”, ressaltou.

Fernando Valverde, presidente da Anepac, disse na ocasião que, após um período de queda no consumo de agregados entre 2014 e 2017, da ordem de 33%, o ano de 2019 confirmou uma tendência de retomada do crescimento que marcou a virada de 2018, depois de quatro anos de estagnação e de redução da produção, faturamento e investimento. “A demanda por agregados no País apresentou aumento de 3,4% em 2018 e deve fechar com alta de 3,5% em 2019, atingindo 532 milhões t. Estimamos para 2020 um crescimento da ordem de 5%”, afirmou.

Além da posse das duas diretorias, a cerimônia teve também uma homenagem aos ex-presidentes do Sindipedras Danti Mariutti e Tasso Pinheiro, que foram muito importantes para a afirmação do setor no passado.

Fontes/créditos:

www.brasilmineral.com.br

https://www.brasilmineral.com.br/noticias/setor-pode-crescer-5-em-2020

Por Brasil Mineral

#mineral #mining #minería #mineração #Sindipedras #Sindiareia

Parceiros 
Tec Mineração.jpg
CPRM.jpg
CETEM.jpg
LAPROM.jpg
logo-cba.png
  • facebook64x64
  • Clube da Mineração
  • twitter64x64
ANBEM.jpg
ANM.jpg

 Entre em Contato

© 2014 Clube da Mineração - Brasil