Buscar

SGB-CPRM APRESENTA PROJETO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO DE PELOTAS E RIO GRANDE, NO RS

No total, foram listadas 66 jazidas ou ocorrências minerais. A ação busca atrair investimentos com efeitos na geração de empregos, renda e desenvolvimento social, à luz da sustentabilidade ambiental

Área de extração de brita com beneficiamento e classificação do material britado, no município de Capão do Leão (Fotos: Arquivo SGB-CPRM).

Com o estímulo inicial de atender a crescente demanda por materiais de construção civil, o Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM), por meio do Departamento de Recursos Minerais (DEREM), da Diretoria de Geologia e Recursos Minerais (DGM), finalizou o projeto Materiais de Construção da Região de Pelotas, Rio Grande e Entorno, no estado do Rio Grande do Sul.

As pesquisadoras em geociências Daiane Flora Hammes e Simone Zwirtes abordam no estudo o papel da informação geológica como indutor no desenvolvimento do setor mineral e de infraestrutura no país, além de estimular e atrair investimentos com efeitos na geração de empregos, renda e desenvolvimento social, à luz da sustentabilidade ambiental.

Iniciado em 2018 e publicado no final deste ano, o projeto disponibiliza informações sobre o potencial na região para areia, brita, argila e saibro, que compreendem os insumos minerais mais utilizados na construção civil. O panorama do setor conta com ensaios de caracterização tecnológica dos materiais que estão sendo utilizados e a indicação de novas áreas potenciais. No total, foram listadas 66 jazidas ou ocorrências minerais.

A exploração de rochas ornamentais, atividade importante há alguns anos, se encontra paralisada, apesar de seu potencial. Cabe ressaltar, que no município de Rio Grande está localizado o maior porto do Estado do Rio Grande do Sul, que no passado recente, favoreceu as exportações de rochas ornamentais extraídas na região. Os granitos, como são comumente chamados, eram comercializadas em blocos, especialmente para Ásia e Europa.

xtração de areia em leito de rio, com utilização de balsas móveis, que operam no sistema de dragagem por sucção. Descarregamento do minério para o estoque em um terminal de minério no Canal de São Gonçalo.

SGB-CPRM e sua contribuição social

O setor de matérias-primas para a construção civil constitui a parcela de insumos minerais mais consumidos e, consequentemente, os mais significativos em termos de quantidades produzidas no mundo. Apesar de serem abundantes e apresentarem baixo valor unitário, o consumo desses bens é um importante indicador do perfil socioeconômico de uma determinada região.

“O projeto fornece informações importantes acerca dos insumos para a construção civil, visando o desenvolvimento socioeconômico ao disponibilizar aos gestores públicos, aos empresários do setor mineral, à comunidade e à sociedade em geral, um informe técnico-científico com a caracterização dos materiais utilizados na região.”, destaca a pesquisadora Daiane Hammes. Além disso, foram indicadas novas áreas potenciais para extração de materiais de uso na construção civil. Ao descobrir novas jazidas, o estudo colabora para disponibilizar insumos a custos acessíveis nas regiões metropolitanas com demanda no país. Além disso, apresenta alternativas para escassez de insumos quando a construção civil encontra-se aquecida. O estudo abrange uma área de aproximadamente 14.000 km2, que abriga 709 mil habitantes, em 11 municípios.

Acesse a publicação completa aqui




Fontes/Créditos:


Eduarda Vasconcelos

Assessoria de Comunicação

Serviço Geológico do Brasil - CPRM

Ministério de Minas e Energia

asscom@cprm.gov.br


Mineração - Mining - Minería - CPRM

0 comentário