Parceiros 
Tec Mineração.jpg
CPRM.jpg
ANBEM.jpg
CETEM.jpg
LAPROM.jpg
ANM.jpg
logo-cba.png
  • facebook64x64
  • Clube da Mineração
  • twitter64x64

 Entre em Contato

© 2014 Clube da Mineração - Brasil

Buscar

VENDA DE MINA DE US$ 600 MI POR US$ 1 MOSTRA RUÍNA DO CARVÃO


A força destrutiva do desmoronamento dos preços do carvão em todo o mundo foi evidenciada pela venda, por apenas um dólar, de uma mina que tinha sido avaliada em 860 milhões de dólares australianos (US$ 631 milhões) há três anos.

A companhia mineradora brasileira Vale SA e a Sumitomo Corp., do Japão, venderam a mina de carvão para coque de Isaac Plains, na Austrália, à Stanmore Coal Ltd., disse a empresa com sede em Brisbane, em um comunicado na quinta-feira.

A Sumitomo comprou uma participação de 50 por cento por 430 milhões de dólares australianos em 2012.

A queda do preço do carvão para coque, utilizado na fabricação de aço, levou a commodity para o valor mais baixo em uma década. Isso está forçando o fechamento de minas no mundo inteiro e levando alguns produtores à falência.

A Alpha Natural Resources Inc., a maior produtora dos EUA, planeja entrar com um pedido de concordata em Virgínia já na segunda-feira, disseram três fontes com conhecimento direto do assunto. A empresa foi avaliada em US$ 7,3 bilhões em 2008.

A Isaac Plains, no estado de Queensland, “foi um dos projetos mais entusiasmantes de carvão na Austrália”, disseram analistas da Investec Plc em uma nota nesta sexta-feira. A mina tem 30 milhões de toneladas, segundo a Stanmore.

“A perspectiva está muito complicada para o carvão”, disse Roger Downey, diretor executivo para fertilizantes e carvão da Vale, na quinta-feira, depois que a Stanmore anunciou a venda.

“Mesmo na Austrália, observamos minas que continuam no vermelho, e isso tem que mudar em algum momento. Temos mercados bastante adversos e desafiadores”.

A ruína do carvão faz parte de uma queda mais generalizada dos preços das commodities, que despencaram neste mês para o menor valor em treze anos.

Reativar a produção

A produção da Isaac Plains começou em 2006 e continuou até 2014, quando a mina foi fechada. Seu pico de produção foi de 2,8 milhões de toneladas por ano, e o carvão era vendido a siderúrgicas do Japão, da Coreia do Sul e de Taiwan.

A Stanmore disse que arcaria com os 32 milhões de dólares australianos em custos de reabilitação associados à mina.

A companhia pretende reativar a produção em Isaac Plains com uma proporção menor.

Ela observa sinergias “relevantes” com seu depósito adjacente Wotonga, adquirido há pouco e ainda inexplorado.

A empresa também obteve um empréstimo de US$ 42 milhões do Taurus Mining Finance Fund que ajudará a financiar a reativação da mina.

O fechamento de Isaac Plains e de Integra Coal, outra mina que foi desativada na Austrália no ano passado, provocou uma redução de 7,2 por cento no total da produção de carvão da Vale no primeiro semestre de 2015.

A baixa contábil foi de US$ 343 milhões nos ativos australianos de carvão, parte das depreciações totais de US$ 1,15 bilhão no ano passado, disse a Vale no dia 26 de fevereiro.

O fechamento de Isaac Plains e de Integra Coal, outra mina que foi desativada na Austrália no ano passado, provocou uma redução de 7,2 por cento no total da produção de carvão da Vale no primeiro semestre de 2015.

A baixa contábil foi de US$ 343 milhões nos ativos australianos de carvão, parte das depreciações totais de US$ 1,15 bilhão no ano passado, disse a Vale no dia 26 de fevereiro.

Fonte/créditos

EXAME

http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/venda-de-mina-de-us-600-mi-por-us-1-mostra-ruina-do-carvao

Por Jesse Riseborough, da Bloomberg

#mineral #mining #minería #mineração #balançamineral #carvãomineral