Parceiros 
mining, mineração, mineral, minería, 矿业 e geologia
mining, mineração, mineral, minería, 矿业 e geologia
mining, mineração, mineral, minería, 矿业 e geologia
mining, mineração, mineral, minería, 矿业 e geologia
mining, mineração, mineral, minería, 矿业 e geologia
  • facebook64x64
  • twitter64x64

 Entre em Contato

© 2014 Clube da Mineração - Brasil

DISPOSITIVOS PARA MINERAÇÃO EM ROCHAS DE OUTROS MUNDOS SERÃO TESTADOS NA ISS

        A mineração espacial está prestes deixar de ser coisa de ficção científica, e os primeiros dispositivos para essa atividade serão testados na Estação Espacial Internacional (ISS) em breve. Tratam-se de 18 reatores biominerais, desenvolvidos ao longo de 10 anos, cada um do tamanho de uma caixa de fósforo. Com eles, os astronautas poderão estudar como organismos microscópicos podem ser usados para obter minerais e metais de vital importância em rochas espaciais.

                                        Reatores biominerais (Foto: Rosa Santomartino)

 

Este processo já é conhecido na Terra como uma biomineração. No espaço, os pesquisadores querem primeiro saber como a baixa gravidade afeta a capacidade natural das bactérias de extrair das rochas materiais como ferro, cálcio e magnésio. Em cada reator biomineral, rochas de basalto foram imersas em soluções contendo bactérias. "O basalto não é apenas o principal componente da superfície da Lua e de Marte, mas também possui estruturas espaciais que nos permitem ver quão bem os micróbios crescem na rocha", disse a pesquisadora Rosa Santomartino, líder da equipe da Universidade de Stanford, que realizou a análise.

 

O desenvolvimento do projeto BioRock é de um grupo de astrobiólogos da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido. O estudo deverá ajudar nos esforços para tripulações permanentemente em mundos distantes, já que deve mostrar como obter minerais essenciais para a sobrevivência no espaço.

 

Além disso, o experimento também vai analisar como as bactérias crescem e formam camadas nas superfícies naturais do espaço. Essas camadas são conhecidas como biofilmes, e os cientistas esperam obter informações sobre como a baixa gravidade os afeta, o que também ajudará na compreensão de como os micróbios crescem na Terra e como poderíamos evitar esse crescimento. Os biofilmes são a forma mais difícil de combate às infecções bacterianas.

Após três semanas de testes, o material será enviado de volta à Terra para ser analisado pela equipe de Edimburgo e em um laboratório da Universidade de Stanford.

 

 

Fontes/créditos:

 

https://canaltech.com.br

 

https://canaltech.com.br/espaco/dispositivos-para-mineracao-em-rochas-de-outros-mundos-serao-testados-na-iss-151295/

 

 

 

Por Daniele Cavalcante

Please reload

Please reload